Nurmagomedov: a incrível família “quase” invicta no MMA

0
699
Khabib Nurmagomedov

"Khabib Nurmagomedov in Uzbekistan (2020-12-01) 13" by Национальный олимпийский комитет Республики Узбекистан is licensed under CC BY 4.0 .

Quais seriam os fatores do sucesso incrível da família Nurmagomedov no MMA: genética, criação, muito treinamento, sorte? Um pouco de tudo? Fato é que o clã russo originário da República do Daguestão tem um recorde praticamente perfeito nas artes marciais mistas, com três de seus principais representantes ostentando um cartel invicto – e cinturões de categorias como UFC e Bellator. 

Atualmente, três Nurmagomedov estão em atividade no MMA: Abubakar e os irmãos Umar e Usman. Mas o mais famoso deles, sem sombra de dúvidas, é o primo de 34 anos que está aposentado desde 2020: Khabib, ex-campeão dos leves e considerado um dos maiores lutadores da história do Ultimate. 

Todos os quatro são da região do Daguestão, uma república localizada no sudoeste do território russo, banhado pelo Mar Cáspio e que faz fronteira com Geórgia e Azerbaijão. E todos eles tiveram em comum o mesmo mestre: Abdulmanap Nurmagomedov, pai de Khabib e tio dos outros três. Ele era um veterano do exército russo e, durante o serviço militar, se especializou nas práticas de judô e sambo (uma arte marcial de origem soviética). Abdulmanap morreu em 2020, vítima da Covid-19. 

Khabib Nurmagomedov: o campeão de papakha

Com os ensinamentos do pai, Khabib foi o primeiro membro da família a entrar no UFC, em 2012. Ele, que frequentemente ostentava uma papakha (um chapéu de lã característico da região do Cáucaso), já havia sido bicampeão mundial de sambo e chegou ao Ultimate com um cartel perfeito de 16 vitórias e nenhuma derrota. 

No octógono da categoria, Khabib disputou (e venceu) 13 lutas e conquistou o cinturão dos leves em abril de 2018, quando derrotou Al Iaquinta. Em outubro do mesmo ano, defendeu o título ao finalizar o irlandês falastrão Conor McGregor, em um combate que ficou marcado por uma confusão generalizada depois da vitória de Nurmagomedov – segundo ele, as provocações de McGregor sobre religião e nacionalidade ficaram engasgadas. 

Khabib ainda fez mais duas defesas de cinturão, vencendo por finalização Dustin Poirier e Justin Gaethje. Depois da luta com Gaethje, ele pousou as luvas sobre o octógono e anunciou a aposentadoria. “Não vou voltar aqui sem o meu pai”, decretou. No total, o mais famoso dos Nurmagomedov venceu os 29 combates que disputou. 

Os irmãos Umar e Usman: o futuro do clã invicto? 

Dois primos mais novos de Khabib, Umar e Usman também foram treinados por Abdulmanap e estão seguindo o caminho do ex-campeão dos leves do UFC. 

Umar Nurmagomedov é quem estaria mais perto de um cinturão do UFC: ele debutou no Ultimate em 2021 e venceu as quatro lutas que fez no octógono. Aos 27 anos, Umar já ocupa a 11ª posição no ranking do peso galo e possui um cartel de 16 vitórias. 

Já Usman, 25 anos, tem um histórico invicto maior que o irmão: são 17 combates, sendo que apenas três deles foram vencidos por decisão – foram ainda 8 nocautes e 6 finalizações. 

Ele ainda não está no UFC e detém o cinturão dos leves no Bellator. Usman conquistou o título no Bellator 288 sobre o brasileiro Patricky Pitbull em novembro de 2022 e fez a defesa superando Benson Henderson, dos Estados Unidos, no Bellator 292, em março de 2023. 

Abubakar Nurmagomedov: o único que já perdeu 

A família Nurmagomedov só não tem um currículo perfeito no MMA porque um outro primo de Khadid já conheceu as derrotas no ringue. Abubakar, que estava presente na confusão com McGregor e Khadid em 2018, tem 33 anos e estreou nos meio-médios do UFC em 2019. 

Abubakar disputou 22 lutas e venceu 17. Ele, porém, perdeu cinco vezes – inclusive a última que disputou no UFC, em junho de 2023 para o brasileiro Elizeu Capoeira.