Lançamento do Vision Pro: analistas de Wall Street revelam suas perspectivas sobre a aposta da Apple

0
545

A Apple (NASDAQ:AAPL) viu suas ações caírem antes da abertura do mercado em Nova York nesta terça-feira, 6, após o lançamento do esperado headset de realidade mista (RM), que chegou com um preço mais alto do que o esperado, de US$ 3.499.

Tim Cook, CEO da empresa, afirmou: “Hoje marca o início de uma nova era para a computação. Assim como o Mac nos lançou à computação pessoal e o iPhone à computação móvel, o Apple Vision Pro nos apresenta à computação espacial”.

Diversos analistas de Wall Street expressaram suas opiniões sobre a apresentação e o impacto do Vision Pro nos resultados financeiros e nas ações da Apple.

Analistas da Oppenheimer acreditam que a administração da Apple considera o headset um produto revolucionário e o próximo passo nas experiências interativas do consumidor.

Os analistas da CFRA, por outro lado, ficaram impressionados com a capacidade de hardware/imersão do mercado, mas acreditam que a Apple não conseguiu identificar por que o aparelho é indispensável para os consumidores, pelo menos por enquanto. No entanto, eles acreditam que o envolvimento dos desenvolvedores e a entrada da empresa no segmento ajudarão a apoiar a adoção e a criação de novos usos ao longo do tempo.

Os analistas do Goldman Sachs (NYSE:GS) estão animados com o potencial de crescimento do headset e do ecossistema de aplicativos Vision Pro no longo prazo, mas acreditam que as contribuições financeiras no curto prazo sejam limitadas devido a três razões principais: o preço de varejo relativamente alto, a possibilidade de venda sem lucro e a base instalada relativamente menor.

Os analistas da Needham & Company observam que o fato de Bob Iger, CEO da Disney (NYSE:DIS), elogiar o Vision Pro da AAPL demonstra a adaptação estratégica entre o conteúdo da Disney e a tecnologia vestível da Apple. Eles esperam uma adoção lenta devido ao preço de US$ 3.500, mas acreditam que a aquisição da Disney pela Apple pode impulsionar a adoção por meio do desenvolvimento de conteúdo exclusivo.

Os analistas do Bank of America (NYSE:BAC) acreditam que a adoção da RM levará tempo, apesar da possibilidade de aumentar as receitas de serviços por meio de um novo conjunto de aplicativos premium.

De acordo com os analistas da Bernstein, o lançamento do headset terá um impacto financeiro insignificante nos resultados da Apple por alguns anos. Eles veem potencial financeiro relevante no longo prazo, mas também acreditam que o dispositivo pode canibalizar outras ofertas de hardware da Apple.

Os analistas do Wells Fargo (NYSE:WFC) esperam um debate entre os investidores sobre o sucesso comercial e as implicações do modelo da nova plataforma. Eles destacam o preço premium do Vision Pro em comparação com o Quest 2 da Meta, mas acreditam que a Apple promoverá a adoção de realidade aumentada/virtual ao buscar um headset de alta especificação.

Os analistas do KeyBanc consideram que o produto parece mais uma substituição de TVs e monitores e questionam as características de rede necessárias para suportar seu uso. E les esperam uma contribuição insignificante para a receita da AAPL, mas acreditam que o produto destaca a capacidade da Apple de integrar hardware, software e serviços de forma diferenciada.

Os analistas do Deutsche Bank ficaram impressionados com a capacidade e o desempenho do Vision Pro da AAPL, mas acreditam que o preço elevado provavelmente limitará a adoção do dispositivo.

Segundo os analistas do Wedbush, a Apple está construindo seu próprio ecossistema de IA dentro de sua comunidade de desenvolvedores do iOS. Eles esperam que o lançamento do Vision Pro gere uma vantagem para os desenvolvedores da Apple em sua base instalada e ecossistema.

Os analistas da Evercore ISI acreditam que o lançamento do Vision Pro é o início da próxima mudança na computação, trazendo aumento de produtividade e entretenimento. Eles consideram o preço mais alto mais aceitável à medida que os aplicativos são desenvolvidos em torno do dispositivo.

No entanto, os analistas da DA Davidson rebaixaram a recomendação das ações da AAPL para neutra. Eles acreditam que qualquer boa notícia sobre o lançamento do produto já está refletida no preço das ações e que existem desafios estruturais importantes em relação à adoção pelos consumidores de hardware de realidade aumentada/virtual.

As ações da Apple acumulam uma alta de 38,2% no ano, com base no preço de fechamento de segunda-feira, 5.