Quais brasileiros têm chance de conquistar o cinturão do UFC em breve?

0
732
MMA fight

"Arnold Amateur Mixed Martial Arts (MMA) Competition" by fightlaunch is licensed under CC BY 2.0 .

A vitória de Alex Pantoja sobre Brandon Moreno no UFC 290 no início de julho recolocou o Brasil entre detentores de um cinturão da principal competição de artes marciais mistas do planeta. Mas, além do “The Cannibal” de Arraial do Cabo, quais outros lutadores nacionais têm chances reais de alcançar um título de categoria no futuro próximo?

Até o momento, a organização do UFC confirmou para 2023 apenas uma luta de cinturão envolvendo atletas do Brasil. Mas ainda há a possibilidade de que outras disputas de título sejam realizadas este ano – afinal, há dois cards bastante indefinidos, dos UFC 293 (em setembro na Austrália) e 294 (em outubro nos Emirados Árabes Unidos).

Confira a seguir quais brasileiros podem se juntar a Pantoja na lista de detentores de cinturão do UFC:

Amanda Lemos (peso-palha feminino)
Por ora, a paraense é a única lutadora brasileira com luta de cinturão marcada para 2023. A ex-campeã dos galos no Jungle Fight desafiará a chinesa Zhang Weili no UFC 292, marcado para 19 de agosto em Massachusetts, nos Estados Unidos.

Amanda é a quarta colocada do ranking da categoria palha, mas foi beneficiada pela boa sequência recente no Ultimante: ela venceu 7 das últimas 8 lutas que realizou. Sua única derrota foi em abril de 2022 para Jéssica Andrade – depois disso, finalizou Michelle Waterson e nocauteou Marina Rodríguez.

Charles do Bronx (peso-leve masculino)
É bem provável que o paulista de 33 anos tenha em breve a chance de recuperar o cinturão dos leve que perdeu em 2022. Ele é o atual primeiro colocado do ranking da categoria, e tanto ele como o atual detentor do título, o russo Islam Makhachev, não têm seus próximos adversários no octógono confirmados.

Charles, que foi finalizado por Makhachev em outubro de 2022, disputou sua última luta em junho, quando nocauteou Beneil Dariush, dos Estados Unidos. Já o russo derrotou o australiano Alexander Volkanovski em fevereiro e manteve sua invencibilidade nos ringues que perdura desde 2015…

Alex Poatan (meio-pesado masculino)
O ex-campeão dos médios subiu uma categoria de peso e, se repetir a sequência inicial que apresentou quando entrou no Ultimate, não deve demorar para postular a disputa do título.

Poatan perdeu o cinturão dos médios em abril de 2023 para o nigeriano Israel Adesanya e decidiu migrar para os meio-pesado porque estava sofrendo para bater o peso. Agora, ele estreia na nova categoria contra o polonês Jan Blachowicz, terceiro do ranking, no UFC 291.

Poatan disputou o cinturão dos médios após três vitórias seguidas em sua estreia no UFC. Quem sabe no meio-pesado isso não se repete?

Ketlen Vieira (galo feminino)
O cinturão está vago depois da aposentadoria de Amanda Nunes, e Ketlen Vieira é uma forte candidata a disputá-lo em breve. Ela ocupa atualmente a quarta posição do ranking da categoria e enfrenta em agosto a sueca Pannie Kianzad, sexta. Uma vitória deve favorecê-la para postular o título.

Antes, porém, é provável que o UFC permita que outras lutadoras disputem o cinturão – quem sabe, casando uma luta entre atletas do Estados Unidos, provavelmente entre Raquel Pennington (última algoz de Ketlen, em janeiro de 2023) com Holly Holm ou Julianna Peña…

Taila Santos (mosca feminino)

Taila bateu na trave em junho de 2022, quando perdeu a disputa do cinturão para Valentina Shevchenko por decisão dividida.

Ela atualmente divide a terceira colocação do ranking da categoria com Erin Blanchfield, e sua próxima luta é justamente para desempatar esta colocação. Depois do UFC on ESPN 51, é possível que ganhe uma nova chance de disputar o título.

Deivesson Figueiredo (mosca masculno)
Não seria surpresa se a primeira defesa de cinturão de Pantoja fosse justamente com um compatriota que já foi dono do título dos mosca.

Deivesson, que foi campeão da categoria entre 2020 e 2021, é atualmente o segundo colocado do ranking (atrás de Brandon Moreno, última vítima do Cannibal), e ainda não possui um rival assignado pelo UFC.